23 de nov de 2015

A Bíblia da Umbanda

Perguntaram-me qual era a Bíblia da Umbanda, ao que respondi: a Natureza!  Insistente e sem entender, o interlocutor ainda “desafiou”: – Mas como você conhece a palavra do Senhor?

Respondi: – Não sei como são suas palavras, assim como se estivessem num livro, mas conheço sua obra, que me parece mais importante.

– Mas as Leis do Senhor estão na sua Palavra, a Bíblia! – irritou-se o “curioso”.

– Leis? Também vejo com clareza na sua obra. – limitei-me.

– Você é iludido e confuso! Leia a minha Bíblia e conhecerá a Palavra e salve-se! – revelou-se o “curioso” em toda sua nudez emocional.

Tentei respirar fundo, mas sem me controlar, repliquei:

– Meu caro “irmão”: para nós, umbandistas, a natureza é nosso livro sagrado. Nela lemos a obra do Criador, a vida exuberante e excelente; nas cachoeiras vemos o seu amor e compaixão; nas matas vemos a sua sabedoria e alimento; nos campos vemos sua sobriedade e nos mares a doação contínua de vida para que a mesma flua deste planeta. Quando compreendemos estas escrituras, passamos a nos relacionar com integração a esta verdade e, o passo seguinte, é aprender sua Lei Sagrada, Lei esta que nos ensina que para viver em plenitude e harmonia é preciso respeitar estas escrituras, a natureza, amar toda forma de vida e doar-se para auxiliar quando algum desequilíbrio invade a fluência natural das coisas. É me respeitar respeitando o próximo em toda sua particularidade independente das minhas convicções; é render culto a esta natureza, reverenciar a vida e amar o próximo não sem antes aprender a me amar. 
Aprendemos por simples observação desta Obra; Ele está em tudo e em todos, pois é o Criador e a Criadora, é compreendido de forma peculiar em cada cultura, em cada novo tempo, em cada agrupamento humano. Que tem muitos nomes e muitas formas, que nenhum está errado e que suas religiões são suas formas individuais de convencer-nos que muitos são os caminhos para o mesmo destino e que toda sua Obra não cabe em todas as páginas de todos os livros de todas a bibliotecas do mundo, pois ali temos uma parte humana Dele, que é muito mais do que somos capazes de interpretar.
Para nós, os versículos são os dias, os provérbios são nossas ações e os cânticos é a Vida!
O irmão, entendeu agora?


Por: Rodrigo Queiroz

Um comentário:

  1. MEUS PARABÉNS, SÁBIA RESPOSTA, UM DIA TEREI CONHECIMENTO PARA RESPONDER COM TAMANHA SABEDORIA, AXÉ E FÉ.

    ResponderExcluir