Pesquisa

1 de dez de 2017

São Cosme & Damião, Doum; Ibejis e Erês


São Cosme e São Damião são venerados como padroeiros dos médicos e farmacêuticos, e por causa da sua simplicidade e inocência também são invocados como protetores das crianças. Como acontece com tantos outros santos, a vida dos santos gêmeos está mergulhada em lendas misturadas à história real. Segundo algumas fontes eles eram árabes e viveram na Sicília, às margens do Mediterrâneo, por volta do ano 300. Praticavam a medicina e curavam pessoas e animais, sem nunca cobrar nada, motivo pelo qual eram chamados de anargiros, ou seja, aqueles que não são comprados por dinheiro.


O culto aos dois irmãos é muito antigo, havendo registros sobre eles desde o século V, que relatam à existência, em certas igrejas, de um óleo santo, que lhes levava o nome, que tinha o poder de curar doenças e dar filhos às mulheres estéreis.

Uma característica marcante na Umbanda e no Candomblé em relação às representações de São Cosme e São Damião é que junto aos dois santos católicos aparece uma criancinha vestida igual a eles. Essa criança é chamada de Doúm ou Idowu, que personifica as crianças com até sete (7) anos, sendo ele o protetor das crianças nessa faixa de idade.


COSME E DAMIÃO, QUEM É DOUM?


Existe também a crença popular, de que Doum era filho de uma empregada da família dos gêmeos, Cosme e Damião e que morreu no dia seguinte ao martírio dos irmãos, e foi levado por eles que o amavam muito. É comum nas estampas de Cosme e Damião se incluir a figura de uma outra criança, que representa Doum.


IBEJIS e ERÊS


Os Ibejis foram sincretizados com os Santos católicos, São Cosme e São Damião por serem gêmeos e atuarem principalmente em pró da saúde e bem estar das crianças. Ibêji é um Orixá duplo que protege a todos, mas principalmente as crianças, gêmeos e os partos multiplos. São conhecidos na Umbanda como os Orixás de amor e alegria.

Ibêji é formado a partir do princípio básico da dualidade. Entre as divindades africanas, Ibêji é o que indica a contradição, os opostos que caminham juntos. Ibêji mostra que todas as coisas, em todas as circunstâncias, têm dois lados, e que a justiça só pode ser feita se as duas medidas forem pesadas, se os dois lados forem ouvidos sob os mesmos critérios. É a divindade da brincadeira, da alegria, sua regência está ligada à infância, a alegria, a inocência e a ingenuidade.


As Entidades que trabalham nessa linha são espíritos conhecidos como Erês, que são seres encantados da natureza que se apresentam nos terreiros de Umbanda sob o arquétipo de crianças.


Fonte.
http://www.caboclopenaverde.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário