Pesquisa

16 de mai de 2017

Oxumarê; Teogonia de Umbanda - Por: Rubens Saraceni

Oxumarê é o Trono de Deus que se polariza com Oxum na Coroa Planetária. O divino Trono da Renovação da Vida é a divindade unigênita de Deus, que é em si mesmo o Orixá que tanto dilui as causas dos desequilíbrios quanto gera de si as condições ideais para que tudo seja renovado, já em equilíbrio e harmonia. Ele é o próprio mistério renovador e diluidor do Criador.



Oxumarê é um Orixá ativo, cósmico e temporal, que só entra na vida dos seres caso as ligações (agregagações) entrem em desequilíbrio ou desarmonia. Sim, ele "desfaz" o que perdeu sua condição ideal de existência e deve ser diluído para ser reagregado já em novas condições.

O magnetismo de Oxumarê é composto de duas ondas entrecruzadas que seguem numa mesma direção, criando uma irradiação ondeante e diluidora de todas as agregações não estáveis. Uma dessas ondas dilui as agregagações cujo magnetismo é de natureza masculina; outra dilui as agregações de natureza feminina, dissolvendo compostos energéticos, alterando estruturas elementares e modificando sentimentos.

Mas o Mistério Oxumarê não se limita apenas a diluir as agregagações instáveis, pois seu fator renovador traz em si a qualidade de renovar um meio ambiente, uma agregação, uma energia, um elemento e até os sentimentos íntimos dos seres.

Oxumarê, tal como revela a lenda dos Orixás, é a renovação contínua em todos os aspectos e em todos os sentidos da vida de um ser. Sua identificação com "Dá", a Serpente do Arco-íris, não aconteceu por acaso, pois Oxumarê irradia as 7 cores que caracterizam as 7 irradiações divinas que dão origem as 7 linhas de Umbanda. E ele atua nas 7 irradiações como elemento renovador.

Oxumarê está na linha da Fé como elemento renovador da religiosidade dos seres. Ele está na linha da Concepção como renovador do amor e da sexualidade da vida dos seres. Está na linha do Conhecimento como renovador dos conceitos, teorias e fundamentos. Está na linha da Justiça como renovador dos juízos. Está na linha da Lei como renovador das ordenações que acontecem de tempos em tempos. Ele está na linha da Evolução como a renovação das doutrinas religiosas, que aperfeiçoam o saber e aceleram a evolução dos seres. Está na linha da Geração como a renovação ou como o próprio reencarne que acontece quando um espírito troca a pele, tal como faz "Dá", a Serpente Encantada do Arco-íris.

Por isso, ele é o Orixá que forma um par natural com Oxum, Orixás da agregação. Onde ela agregou, mas já foi superada ou entrou em desequilíbrio com o resto da criação, aí entra Oxumarê diluindo tudo e gerando em si, e de si, as condições ideais para que tudo se renove e, mantendo suas qualidades originais e sua natureza individual, para que continue a fazer parte do todo que é Deus.

O mistério "7 Cobras" é um dos aspectos negativos ou opostos do Divino Oxumarê, que é em si mesmo o arco-íris ou as 7 irradiações divinas.

Observem que, "serpente" ou "cobra" não tem conotação de réptil, mas simboliza as qualidades afins com os campos vibratórios dos Orixás.

E se no aspecto positivo assumem cores irradiantes, no aspecto negativo assumem cores absorventes, todas afins com as faixas nas quais são retidos os seres que emocionalizam suas vidas até um grau afim com o pólo negativo dos Orixás Cósmicos.

LEIA TAMBÉM "CARACTERÍSTICAS DOS FILHOS DE OXUMARE"

[Texto extraído do livro: Doutrina e Teologia de Umbanda Sagrada, pág 152/153]

Nenhum comentário:

Postar um comentário